4/5/2021 20:05

Corinthians paga parcelas atrasadas e regulariza situação no Profut

Timão priorizava pagamento das parcelas para evitar exclusão do programa

O Corinthians pagou nos últimos dias as três primeiras parcelas atrasadas de 2021 do Profut: a de janeiro, que venceu em fevereiro, a de fevereiro, que venceu em março, e a de março, que venceu em abril. O clube não tem mais pendências no programa atualmente.



Criado em 2015 no governo Dilma Rousseff, o Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro permite o parcelamento de impostos devidos à União em até 20 anos com redução de 70% das multas, 40% dos juros e 100% dos encargos legais.

O valor das parcelas gira em torno de R$ 1 milhão por mês. O clube correu para evitar que o atraso chegasse a três meses no exercício de 2021, o que aumentaria o risco de exclusão do programa.

O Cruzeiro, por exemplo, foi retirado na temporada passada por falta de pagamentos e por desrespeitar outras exigências.

O Corinthians aderiu ao Profut em 18 de novembro de 2015. Na época, a dívida do Timão era de quase R$ 182 milhões.

O presidente Jair Bolsonaro promulgou, na última quinta-feira, a suspensão do pagamento das parcelas do Profut durante o período de calamidade pública causado pela pandemia de Covid-19. O período foi encerrado em 30 de dezembro de 2020 (os detalhes estão aqui).

O artigo foi incluído na Lei 14.117, que entrou em vigor em janeiro. Clubes e entidades que não conseguirem pagar as parcelas de 2021 seguem passivos de sofrerem punições previstas na Lei do Profut, como a própria exclusão do programa.

O benefício afeta, portanto, apenas os clubes que não conseguiram arcar com a dívida durante o ano de 2020, como foi o caso do Corinthians. Agora, eles terão margem para discutir esses pagamentos pendentes com o Governo, ficando livres de eventuais punições, como a própria exclusão do Profut.

Sobre FGTS

Além do congelamento do Profut, Bolsonaro promulgou o artigo que permite aos clubes não recolher o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), assim como as contribuições previdenciárias, durante a vigência do estado de calamidade pública e até 180 dias após ela – ou seja, junho de 2021.

A mudança alivia um temor dos clubes mais endividados, já que a Lei Pelé permite que os atletas que não tenham FGTS e contribuições previdenciárias recolhidas durante três meses possam rescindir seus contratos de trabalho de forma unilateral.



Com a lei, essa rescisão de contrato unilateral passa a ser possível apenas para casos de atraso de salário ou direitos de imagem por três meses ou mais.

corinthians, Timão, Profut



LEIA TAMBÉM: Corinthians coleciona eliminações e expulsões com árbitro escalado pela Conmebol para Sul-Americana

LEIA TAMBÉM: Mando de campo, recorde, testes, veja o que está em jogo para o Corinthians na última rodada do Paulistão






1245 visitas - Fonte: Globo Esporte

Mais notícias do Corinthians

Notícias de contratações do Timão
Notícias mais lidas

Parabens Duilho corinthians e o maior clube do Brasil

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias

Próximo Jogo - Paulista

Ter - 12:00 - Neo Química Arena - Premiere
Corinthians
Inter de Limeira

Último jogo - Paulista

Dom - 16:00 - Neo Química Arena
Corinthians
2 1
Novorizontino
Untitled Document
Classificação
P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
Libertadores Pré-Libertadores Sul-Americana Rebaixados
vitoria empate derrota
Untitled Document
Classificação
1 São Paulo
2 Ferroviária
3 Ponte Preta
4 Sao Bento
P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
25 10 8 1 1 25 6 19 VVVVV
12 9 3 3 3 13 11 2 VDDEE
10 9 3 1 5 9 10 -1 VDVDD
6 9 0 6 3 6 9 -3 DEEEE
Untitled Document
Classificação
1 Internacional
2 Always Ready
3 Olimpia
4 Deportivo Tachira FC
P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
3 2 1 0 1 4 2 2 DV
3 2 1 0 1 3 2 1 VD
3 2 1 0 1 4 4 0 DV
3 2 1 0 1 3 6 -3 VD