19/9/2020 13:58

Se não entrar em campo, Corinthians pode ficar dois anos fora do Brasileiro

A decisão da Federação Carioca de Futebol de permitir que jogos no Maracanã possam ter presença de público pode paralisar o Campeonato Brasileiro. Pelo menos essa foi a ameaça de Andrés Sanchez. "O Corinthians só aceita a volta do público aos estádios se todos os times da Série A tiverem a mesma oportunidade, independente do estado ou cidade. Se não forem as mesmas condições para todos, não entraremos em campo", escreveu Andrés, no perfil dele no Twitter.



Para especialistas em direito esportivo, o Corinthians tem direito a reclamar e pode até tentar uma Medida Cautelar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), mas se for em frente na rebeldia e se recusar a entrar em campo, pode sofrer sanções graves. Para isso, pode se basear no artigo 2º do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê que "a interpretação e aplicação deste Código observará os seguintes princípios, sem prejuízo de outros: XVII - prevalência, continuidade e estabilidade das competições (pro competitione)".

Para definir a questão, a CBF teria que reunir o corpo técnico da competição, com presidentes de clubes e representantes de atletas. Se a maioria aceitar, poderia voltar a ter presença de público. Vale lembrar que o protocolo sanitário da CBF válido para o Campeonato Brasileiro não prevê a presença de torcida.

"Tem um princípio novo desporto que é a Paridade de Armas. Segundo esse princípio, os competidores merecem e precisam ter as mesmas condições para não haver um desequilíbrio na disputa esportiva. A análise que a gente tem que fazer é a seguinte: ter torcida ou não ter torcida traz um desequilíbrio? se a gente tem como que justifica as partidas com torcida única. Em tese caso conclua se que ter ou não ter torcida influencia na Paridade de Armas. É uma determinação do poder público. São circunstâncias alheias à vontade de todos que tem que se ter muito cuidado. Se for aberto esse precedente, qualquer motivo externo vai ser usado como fundamento para ferir a Paridade de Armas", alerta o advogado Gustavo Souza.

O Corinthians pode ainda usar o artigo 13, do Capítulo IV do Estatuto do Torcedor, que fala que "o torcedor tem direito a segurança nos locais onde são realizados os eventos esportivos antes, durante e após a realização das partidas". E ainda pode se defender apelando para a Constituição Federal, que traz em seu artigo 5º "todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade".

Segundo o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), a iniciativa tem como objetivo tentar diminuir as aglomerações de pessoas nas praias e sem máscara. O jogo sugerido para marcar a volta do público aos estádios é Flamengo e Athletico Paranaense, no Maracanã, pela 13ª rodada do Brasileirão.

Só que se não tiver sucesso em suas empreitadas jurídicas e mesmo assim não quiser entrar em campo, a situação do Corinthians ficaria quase que insustentável no sentido de evitar punições esportivas.

"Da mesma forma que é possível ter um campeonato onde alguns times têm estádios para 60 mil pessoas e outros sequer tem estádio, ou tem estádios muito mais modestos, é possível ter um campeonato com público em algumas regiões e não em outras. O consumidor deve ter o direito de ver os jogos no estádio, desde que as autoridades públicas entendam ser seguro em cada região. E essa volta deve realmente ocorrer de forma escalonada. O argumento da isonomia é aquela carta coringa que os clubes usam quando não têm outros argumentos mais sólidos. Temos que entender que a isonomia é importante no esporte, mas nunca será absoluta. Foi o próprio Andrés Sanchez, com o Corinthians, um dos responsáveis por dar um passo nesse sentido quando fez o primeiro movimento que implodiu o Clube dos 13. O argumento da isonomia só é usado quando é o outro que tem alguma vantagem. Quando a vantagem é para o meu time, o argumento é o da liberdade de negociação ou da autonomia das entidades esportivas", critica o especialista em direito esportivo Vinicius Loureiro.

Em princípio, é preciso recorrer ao Regulamento Geral de Competições da CBF para saber o tamanho do prejuízo que essa rebeldia poderia trazer ao Corinthians. O artigo 62 estipula que "se uma equipe abandonar, for excluída ou eliminada pela Justiça Desportiva de uma competição ficará automaticamente suspensa durante dois anos de qualquer outra competição coordenada pela CBF, em qualquer categoria ou divisão". Parágrafo único: "entende-se também como abandono a desistência da disputa de uma competição após a publicação definitiva da tabela e regulamento correspondente.

Assim, depois de dois anos, o Corinthians estaria apto a voltar a disputar o Campeonato Brasileiro, mas teria de recomeçar pela Série D.

O artigo 63 do mesmo documento mostra como ficaria a situação da atual edição do Campeonato Brasileiro, ao determinar que os resultados até então obtidos considerados desportivamente sem efeito.

No STJD, o Corinthians teria sua situação definida com base nos artigos 203 e 204 do CBJD. Artigo 203 prevê que quem deixar de disputar, sem justa causa, partida, prova será multado em até R$ 100 mil, mais perda de pontos em favor do adversário. Parágrafo 3º: "em caso de reincidência específica, a entidade de prática desportiva será excluída do campeonato, torneio ou equivalente em disputa".

Já o artigo 204 diz que quem abandonar a disputa de campeonato, torneio ou equivalente, da respectiva modalidade, após o seu início, também estará sujeito a pena de R$ 100 mil.



Corinthians, Timão, Brasileirão, Futebol, Notícias



LEIA TAMBÉM: Corinthians afasta Sidcley e lateral não atua mais pelo clube alvinegro

LEIA TAMBÉM: Duelo contra o América-MG vale salários atrasados de atletas por premiação






1089 visitas - Fonte: esporte.uol

Mais notícias do Corinthians

Notícias de contratações do Timão
Notícias mais lidas

Se precisar que fique dois anos, o que nao pode é continuar essa palhacada da cbf proteger o flamengo em tudo , ou te. Tocida no brasil todo ou nao tem nada

Wilson Fernandes     

Andres se todos os estados aderirem a essa sua ideia tudo bem,mas se alguns clubes mijarem pra traz não va adiante essa cupula do Rio de Janeiro são loucos para foderem clubes paulistas,como disse o colega ai CAUTELA

Eridan Silva     

Isso era pra todos fazer isso

Sebastiao Godoi     

O Andrés Sanchez fica quieto espera acontecer ai você toma providência

Alex Sampaio     

Oh sim e para ajudar vem o assunto do momento Pandemia agora sim é para terminar de vez, SOCORRO QUEREMOS FUTEBOL SOMENTE EM 4 LINHAS.

Alex Sampaio     

Futebol já tinha perdido a arte drible da velha, aquela canetinha, pedalar, Rivalidade e Garra mas tudo entre quatro linhas. Hoje futebol sem qualidade, com técnica mas sem qualidade, muitos juizes do campo e Juiz do Tribunal o futebol retrocedeu ficou lento, truncado e sem goleadas, dribles e qualquer passada de pé por cima já é sinal de desrespeito tudo no futebol é buly. Resultado?? Feliz daquele que hoje não gosta de futebol.

Claudio Teixeira     

ENTAO QUE ESSAS RENDAS DE QUEM PODE RECEBER PUBLICO SEJA DIVIDIDA

Dione Oliveira     

Ta certo tem que ser para todo

Todos oa demais times teriam que estar com o Corinthians nessa o flamengo quer torcida por precisa de grande apoio para melhorar e tentar reverter os 5 ×0 contra kkkkk

aldair alves     

Q fica dez anos sem joga q diferenca faz time nojento kjj

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias

Próximo Jogo - Brasileiro

Sáb - 19:00 - Neo Química Arena - Premiere
Corinthians
Internacional

Último jogo - Copa do Brasil

Qua - 21:30 - Neo Química Arena
Corinthians
0 1
América-MG
Untitled Document
Classificação
1 Internacional
2 Flamengo
3 Atletico-MG
4 Fluminense
5 São Paulo
6 Santos
7 Palmeiras
8 Fortaleza EC
9 Grêmio
10 Ceará
11 Atletico Goianiense
12 Sport Recife
13 Corinthians
14 Bahia
15 Bragantino
16 Botafogo
17 Vasco DA Gama
18 Atletico Paranaense
19 Coritiba
20 Goiás
P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
35 18 10 5 3 30 15 15 VVVVE
35 18 10 5 3 32 21 11 VVEVE
32 17 10 2 5 31 20 11 DVEDE
29 18 8 5 5 28 21 7 VVEEV
27 15 7 6 2 20 13 7 EEVVE
27 18 7 6 5 24 22 2 EVDVD
25 17 6 7 4 22 20 2 DDDDV
24 16 6 6 4 16 11 5 EEVEV
24 17 5 9 3 19 16 3 VDVEV
22 17 6 4 7 21 24 -3 DEVEV
22 18 5 7 6 17 24 -7 DVVED
21 18 6 3 9 18 26 -8 DDDDE
21 18 5 6 7 21 26 -5 EDVDV
19 17 5 4 8 22 25 -3 DVDEV
19 18 4 7 7 21 24 -3 DDEVV
19 17 3 10 4 17 20 -3 EVVDE
18 16 5 3 8 19 24 -5 DDDDD
16 17 4 4 9 13 19 -6 EDDED
16 18 4 4 10 15 24 -9 DEVDD
11 16 2 5 9 19 30 -11 DDEED
Libertadores Pré-Libertadores Sul-Americana Rebaixados
vitoria empate derrota
Untitled Document
Classificação
1 Bragantino
2 Corinthians
3 Guarani Campinas
4 Ferroviária
P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
23 12 7 2 3 18 9 9 VVVVV
17 12 4 5 3 15 10 5 EEEVV
16 12 4 4 4 16 14 2 EVVDD
15 12 3 6 3 13 9 4 VEEEV
Untitled Document
Classificação
P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS