10/10/2019 07:52

Durante coletiva Boselli fala sobre permanência em 2020 e sobre reserva

Mauro Boselli tem 34 anos, uma história bonita no futebol e uma personalidade forte. O argentino lida bem com as palavras e é sempre muito claro e sincero em suas declarações. E não foi diferente na entrevista coletiva dessa quarta-feira, véspera da partida entre Corinthians e Athletico-PR.


Provável titular no jogo desta quinta, em Itaquera, o camisa 17 foi desafiado a explicar por que ainda é reserva do Corinthians, e preferiu não dizer o que pensa sobre o assunto, sem esconder o incômodo com a situação.

“Tenho uma forma de pensar, mas prefiro guardar para mim. Quem pode dar a resposta é o treinador. Mostro desde o primeiro dia que sou uma pessoa que trabalha, treina bem e mostra dentro de campo, e não faço manifestações que possam ser contraproducentes para a equipe”, disse.

“Acho que quando entrei ou comecei do início fiz as coisas bem, e quem decide se vou continuar ou não é o treinador. Quem pode responder é Carille. Tenho uma forma de pensar e prefiro guardar para mim”, reforçou.

Mauro Boselli tem sete gols em 38 atuações com a camisa corintiana. Em 20 oportunidades começou como titular. A média de gols é baixa e o centroavante reconhece, mas, no seu entendimento, isso passa pela maneira da equipe jogar.

“Tem que perguntar ao treinador. Os atacantes dos outros times têm três ou quatro chances. Aqui não tenho. Não passa pelo nome, eu, Love, ou Gustavo, mas pelo esquema e funcionamento, passa pelo time ser mais ofensivo”, avaliou, antes de concordar com a opinião sobre o futebol ruim apresentado pelo Corinthians na temporada.

“Creio que pelo grupo que temos e pela qualidade que temos, podemos jogar muito melhor. Mas é questão de melhorar, de potencializar o que temos de bom, temos força defensiva, é algo importante, e temos que melhorar a chegada ao gol. Não temos mais de cinco gols os jogadores ofensivos (no Brasileirão). Temos que melhorar muito”.

Durante a intertemporada, depois de uma derrota corintiana para o Botafogo-SP em amistoso disputado em Ribeirão Preto, Boselli chegou a externar irritação com a postura do time em campo e sua declaração gerou grande repercussão.

“Quanto a essa frase que se tornou polêmica, eu não disse com essa intenção. Eu disse que pelo o que podemos, temos que lutar pelo objetivo que tínhamos, os títulos da Sul-Americana e Brasileirão. Na Copa, ficamos fora pelo jogo na Arena. No Equador, com a altitude, não foi fácil. Mas chegamos numa semifinal, algo importante”, explicou.

“Mas Corinthians tem que ser campeão. E Brasileirão se tornou difícil, tem duas ou três equipes que estão acima, que têm proposta ofensiva. Nossa ideia é lutar até o final e chegar nas últimas rodadas ainda com chance de ser campeão”, explicou.


Mesmo tendo contrato até o fim de 2020, o jogador não garante que ficará no Corinthians para ao ano que vem.

"Faltam muitas rodadas ainda para o campeonato, vou fazer uma avaliação, não apenas futebolística. No futebol é normal jogar algumas e não jogar outras. A avaliação é geral, inclui a vida pessoal. Minha família também. Tenho que pensar em tudo, a vida não passa apenas por futebol, há muitas coisas para avaliar. Amanhã temos um jogo importantíssimo, espero que o técnico me dê chance de começar ou que eu entre no segundo tempo. Quero ajudar nos objetivos. No fim do ano vou avaliar. Hoje ainda não há sentido falar, pois ainda não tenho conclusões.



VEJA: Clique aqui e veja as promoções que a Network BG preparou para você acompanhar todos os jogos da temporada

LEIA TAMBÉM: Corinthians muda postura, mas ainda deixa Carille em xeque no comando alvinegro

LEIA TAMBÉM: [COMENTES] Declarações extracampo podem ter refletido no desempenho do Corinthians?

LEIA TAMBÉM: Gustagol fala sobre "reunião" interna do elenco e relacionamento com Carille

1755 visitas - Fonte: -

Mais notícias do Corinthians

Notícias de contratações do Timão
Notícias mais lidas

Deyvid Eduardo     

si callire continua deixando boselle na reserva e melhor demiti callire por que ele só bota o cara pra joga quando já ta ficando sufocado as coisas pra o lado dele ai ele bota boselle pra salva e limpa a merda que ele fez tem que da mais ritmo d jogo a boselle que ele chega pra ser titula desse time

Toninho Santos     

NAO ENTENDO ESTE TAL DE CARILLE BURRO ONDE JA SI VIU DEIXAR BOSELI E GUSTAGOL NO BANCO TEM COISA ERRADA SO PODE FICAR DE OLHO NESTA MARACUTAIA DO PROFESSOR PARDAL CARILLE

Alex Araujo     

O próprio jogador reconhece que o time é ineficaz ofensivamente, e que isso passa pelo esquema ruim do técnico, e eu concordo com ele, nao se trata de nomes e sim da forma do time jogar, que dificilmente ajuda os atacantes, atacantes no Corinthians só servem para correr atras de zagueiro e laterias mais nada.

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias

Próximo Jogo - Brasileiro

Sáb - 19:00 - Arena Corinthians - Premiere
Corinthians
Cruzeiro

Último jogo - Brasileiro

Qua - 21:30 - Serra Dourada (GO)
Goiás
2 2
Corinthians
Untitled Document
Classificação
1 Flamengo
2 Palmeiras
3 Santos
4 Corinthians
5 São Paulo
6 Grêmio
7 Bahia
8 Internacional
9 Goiás
10 Atletico Paranaense
11 Vasco DA Gama
12 Atletico-MG
13 Botafogo
14 Fluminense
15 Fortaleza EC
16 Ceará
17 CSA
18 Cruzeiro
19 Avai
20 Chapecoense-sc
P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
61 26 19 4 3 55 22 33 EVVVV
53 26 15 8 3 41 20 21 EEDVV
48 25 14 6 5 36 23 13 EVVVE
44 26 11 11 4 29 18 11 VEEDE
43 26 11 10 5 26 17 9 EVEVD
41 26 11 8 7 43 28 15 DEVVD
41 26 11 8 7 29 22 7 VDEDV
39 25 11 6 8 29 23 6 DEEDE
37 26 11 4 11 27 37 -10 VVDVE
35 25 10 5 10 35 27 8 VEVED
34 26 9 7 10 24 31 -7 VDEVV
32 26 9 5 12 32 37 -5 DEDDE
30 26 9 3 14 23 29 -6 DDVDD
29 25 8 5 12 27 34 -7 EVVEV
28 26 8 4 14 28 36 -8 VDVDD
26 25 7 5 13 24 26 -2 EDDDV
26 26 6 8 12 17 37 -20 DVVDE
25 26 5 10 11 20 33 -13 DEEEV
17 25 3 8 14 13 37 -24 DDDED
16 26 3 7 16 19 40 -21 DDDED
Libertadores Pré-Libertadores Sul-Americana Rebaixados
vitoria empate derrota