20/4/2018 22:23

EXCLUSIVO: Bastidores do Corinthians fervem antes de apresentação das contas do clube

Foto: Peter Leone/Folhapress

Por: Luan Quinello

Se dentro de campo o clima do Corinthians é de paz, fora dele não se pode dizer o mesmo: O clima nos bastidores do clube é tenso. Tudo porque o presidente do clube, Andrés Sanchez, ainda não apresentou o balanço anual do clube à alguns conselheiros do clube.



Em entrevista por telefone ao portal Tudo Timão, um conselheiro do clube confirma a informação: “Eu não recebi ainda, mas tive a informação que apenas alguns conselheiros receberam. O Presidente do Conselho Deliberativo falou que está marcada (reunião) para a próxima segunda-feira (23) e que estão encaminhando os documentos necessários para análise, mas eu até agora, não recebi”, disse por telefone.

O conselheiro afirma que no Estatuto do clube não existe um prazo específico para que o documento seja apresentado, mas que há a necessidade de um prazo razoável para que os conselheiros analisem as contas com propriedade, algo que até agora, Andrés não apresentou para alguns nomes do conselho alvinegro.

- Na verdade, a transparência que a Lei Pelé e a Lei Profut exigem não estão sendo cumpridas pelo clube , a verdade é essa. Está tendo um desrespeito muito grande com os conselheiros. No ano passado, o Corinthians passou pelo mesmo problema, as contas foram apresentadas somente no dia da reunião gerando uma insurgência por vários conselheiros. Afirmou.

Ainda segundo a fonte, um grupo de conselheiros acusou uma ação para anular a reunião (do ano passado) e que o processo ainda está em tramitação.

- Nos últimos três anos eles não entregaram a documentação no tempo correto. Nunca entregaram com um prazo razoável para que houvesse uma análise das contas e do balanço e outras peças mais. O que eles fizeram esse ano está ferindo novamente o estatuto pois, o CORI já aprovou as contas, porém, sem o parecer do Conselho Fiscal.

De acordo com ele, houve uma inversão de valores porque pelo Estatuto, o documento tem que passar primeiro pelo Conselho Fiscal e somente depois, pelo CORI.

Prejuízos ao clube

A informação passada ao portal, é que Andrés e companhia têm que entregar a aprovação das contas até o final do mês de Abril, do contrário, o caso é levado à um Órgão específico e o Corinthians pode sofrer algumas implicações. “Eles já sabem disso há muito tempo, eles tinham que ter se preparado muito antes e não entregar no apagar das luzes, vamos assim dizer”, disse.

Andrés ainda não apresentou balanço a todos conselheiros do clube(Foto:Ivan Pacheco/Veja)

Nos dias em que o clube irá apresentar o balanço das contas, gera-se um tumulto generalizado, o que causa certa desconfiança por parte de alguns membros do conselho do clube.

- Eles fazem isso, não sei se é para que não haja tempo hábil para se fazer uma fiscalização efetiva, mas é uma presunção minha, sempre tem tumulto generalizado no dia da reunião. E como eles têm a maioria, conseguem a aprovação, porque nós não conseguimos passar para os demais conselheiros se existem coisas erradas ou não.

O processo de aprovação passa por uma auditoria independente, mas que não tem a confiança, pois já deixou passar batido, erros nas contas do clube: “Em 2014, o próprio diretor financeiro da época, o Piovesan, confirmou que houve uma ‘maquiagem das contas’. Como que a gente vai confiar em uma auditoria que não constatou essa irregularidade?”, relatou.

Em 2017, os conselheiros do clube entraram com uma ação questionando essa situação e segundo a fonte, se houver a aprovação das contas este ano da maneira que está sendo conduzida a situação, eles entrarão novamente com uma ação em respeito ao direito dos conselheiros do clube.

“A verdade é que muitos conselheiros ainda não se conscientizaram da responsabilidade que eles têm, principalmente em relação ao Profut. Se eles aprovarem algo que está irregular, eles serão solidariamente responsáveis. Por isso é importante, o conselheiro que não aprovar as contas deixar seu nome consignado na ATA, porque ele pode responder com seu patrimônio”, disse.

De acordo com uma lei do Profut, os conselheiros eles são solidariamente responsáveis com eventuais irregularidades da direção do clube. As contas do clube partem da diretoria e se houver aprovação de uma conta errada por parte dos conselheiros, nada impede que eles respondam com seus patrimônios pela falha.

- A falta de transparência, de não entrega de documentos podem fazer com que a diretoria seja desposta, uma das implicações é essa. O Corinthians pode perder eventuais benefícios fiscais, empréstimos públicos. O Profut elenca diversas penalidades caso não sejam respeitados os seus princípios, sendo um deles a transparência. Lá está bem claro que o clube tem que entregar a documentação à quem cabe a fiscalização, que são os conselheiros.

Um dos motivos para o pedido de impeachment de Roberto de Andrade (ex- presidente do clube) foi justamente esse. Roberto não havia apresentado a documentação aos membros do conselho. Questionado sobre a possibilidade de entrarem com um pedido contra Andrés, o conselheiro disse: “É uma questão que temos que analisar, não posso falar nem que sim, nem que não. Mas acho que está havendo um desrespeito ao Estatudo, a lei Pelé e ao Profut. Os dirigentes atuais do Corinthians, não respeitam as leis do nosso País”, finalizou.

*Nós tentamos entrar em contato com o clube, porém, ninguém nos atendeu.




35772 visitas - Fonte: Tudo Timão

Mais notícias do Corinthians

Notícias de contratações do Timão
Notícias mais lidas

Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui ou Conecte com Facebook.

Últimas notícias